Os desenhos de projetos são expressos por uma linguagem gráfica e técnica

A arte de idealizar um ambiente agradável, funcional e de bom gosto, muitas vezes, pode ser intuitiva, mas o aprofundamento nos conceitos e princípios básicos transforma um indivíduo leigo em um profissional capaz. O olhar do designer de interiores e ambiente é amplo e interativo porque seu trabalho envolve o ambiente como um todo harmônico, e uma vez tendo conhecimento básico das técnicas construtivas e sua prática, estes o levam a soluções viáveis de forma a direcionar seus projetos.

E por falar em projetos de interiores, o que são?

Bem, as ideias da composição de um ambiente precisam ser expressas de forma a permitir que qualquer profissional de execução de obra possa entender e realizar.

 

Para isso o desenho do projeto deve obedecer às normas técnicas regentes que normalizam a linguagem gráfica expressa com a utilização do desenho técnico e do desenho arquitetônico. Esta linguagem gráfica é adotada na maioria dos países, com suas ligeiras peculiaridades, de forma a universalizar o entendimento do desenho de projetos.

 

No Brasil a ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas dispõe de inúmeras NBR – Normas Técnicas Brasileiras que regularizam e normalizam a forma de expressar graficamente os elementos de um projeto arquitetônico e também contem  normas da forma de apresentação dos mesmos.

 

Sem o conhecimento desta linguagem gráfica não se consegue expressar de forma técnica um projeto relativo a edificações e como o projeto de design de interiores e ambiente trata, como especificado, do interior das edificações – os ambientes, não poderia ser expresso diferente, mas dentro da normalização do desenho de arquitetura.

A profissão não regulamentada, anteriormente conhecida como “Decorador”, era praticada por indivíduos, como já mencionei, que intuitivamente conseguiam vislumbrar uma composição de ambientes, mas totalmente desprovido de técnicas essenciais. Neste contexto, os arquitetos complementavam suas atribuições com projetos denominados “Arquitetura de Interiores”.

 

Atualmente, com a profissão de “Design de Interiores e Ambientes” regulamentada, estes profissionais são formados e graduados por faculdades em todo o país com direito a pós-graduações, mestrados e mais.

 

Naturalmente, como já foi dito acima, o conhecimento do desenho técnico, do desenho arquitetônico e suas normas é fundamental, na realidade, é a base sobre a qual os projetos de design vão ser desenvolvidos. Sem esta formação técnica é impossível a atuação profissional no mercado de trabalho.

 

  • Share post

Arquiteta e professora de Desenho Arquitetônico na Faculdade Tecnológica INAP de Design de Interiores. Larga experiência no mercado de trabalho com diversos projetos arquitetônicos edificados em BH. Pratica a docência com prazer e dedicação e tem ampliado sua abrangência de conteúdos no EAD - Ensino a Distancia - nas disciplinas de Conforto ambiental, Núcleo de Projeto e outras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *