Estratégias Bioclimáticas & Conforto Térmico

As Zona Bioclimáticas foram definidas como regiões com relativa homogeneidade climática a partir da superposição dos dados climáticos brasileiros (coletados por médias mensais de temperatura máxima, mínima e índices de umidade relativa do ar), zonas de conforto térmico humano e estratégias dos sistemas construtivo, abrangendo critérios para o verão e o inverno.

 

Este estudo foi baseado na Carta Bioclimática de Givoni (“Comfort Climate Analysis and Building Design Guidelines”. Energy and Building, 18 (1), 11-23, 1992, adaptada aos parâmetros brasileiros.

 

Tendo como objetivo a promoção de projetos bioclimáticos para soluções de conforto térmico nos ambientes construídos na definição de elementos arquitetônicos e técnicas construtivas de estratégias de projetos adaptadas às condições favoráveis do clima.

 

 

Quanto a Givoni, em seus estudos relativos à Carta Bioclimática procurou relacionar o indivíduo, o clima e a arquitetura, analisando os efeitos fisiológicos como resultado das trocas térmicas entre o organismo e o ambiente, os efeitos das variáveis climáticas, os efeitos térmicos internos no ambiente construído, e os efeitos da orientação solar e da radiação solar sobre as coberturas.

GIVONI, Baruch (1976): Man, climate and architecture.  Londres, Applied Science Pub lishers, 499 p.

 

A norma técnica, citada abaixo, apresenta e recomenda Diretrizes construtivas e Estratégias de Condicionamento Térmico Passivo estabelecendo parâmetros tanto à estrutura envolvente da edificação, as chamadas pontes térmicas (paredes, coberturas, lajes, pilares, vigas, vidros e madeiras) quanto a orientação da insolação suas superfícies. Aborda as dimensões das aberturas e sombreamentos quando necessários, os ventos dominantes e indicação de ventilação cruzada, umidificação ou desumidificação dos ambientes conforme os índices de umidade relativa do ar. Apresenta sugestão de aquecimento e refrigeração artificial ativo, para amenizar as sensações térmicas presentes.

 

As NBR 15220-3/2003 está disponível e todo profissional na área de projeto de edificações, certamente, deverá consulta-la.

 

O vídeo a seguir complementa este assunto e está disponível em:

 

  • Share post

Arquiteta e professora de Desenho Arquitetônico na Faculdade Tecnológica INAP de Design de Interiores. Larga experiência no mercado de trabalho com diversos projetos arquitetônicos edificados em BH. Pratica a docência com prazer e dedicação e tem ampliado sua abrangência de conteúdos no EAD - Ensino a Distancia - nas disciplinas de Conforto ambiental, Núcleo de Projeto e outras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *