O profissional de Design de Interiores e o cliente

Em um primeiro momento pretendemos que vocês possam adquirir conhecimentos da vida profissional do Designer de Interiores, suas atribuições e competências como também uma postura ética que muitas vezes falta ao profissional nos contatos iniciais com o mercado de trabalho.

 

O contato do profissional de design de interiores com o potencial cliente é chave nesta relação de prestação de serviços. Aquela história de que a primeira impressão é a que fica ainda continua sendo verdadeira, pois a relação profissional e cliente, nesta área, é de confiabilidade e de uma interação pessoal. Afinal, o espaço-ambiente pertence ao cliente e este deverá sofrer interferências, muitas vezes, atendendo a apelos individuais e pessoais.

 

Nos contatos iniciais o profissional, além de visitar o local e saber das intenções de uso do espaço-ambiente, precisa extrair do seu cliente, em muitas conversas, todas as suas pretensões, sonhos e expectativas, assim como o seu modo de vida, costumes particulares e dos ocupantes ou futuros usuários. Independente do espaço-ambiente ser residencial, corporativo, comercial ou de prestação serviço.

 

Muito importante é o registro de todas estas entrevistas em documentos que irão direcionar a visão do profissional e orienta-lo em seu trabalho. Para isso, questionários como levantamento de necessidades e briefings (residencial ou comercial) são de grande ajuda pois, evitam desvios dos assuntos abordados mantendo-os no interesse real. São válidos também, para identificar o estilo do cliente, a busca de soluções de espaços-ambientes semelhantes já existentes ou algumas mostras de trabalhos realizados em projetos de design de interiores, tipo “portifólio”com identificadores de clientes, endereços e datas.

 

Alguns profissionais enviam por e mail estes relatórios-questionários, para que o cliente possa respondê-los com calma e atenção. Mas o contato cara a cara, olho no olho é que verdadeiramente revelará os anseios do cliente e demais usuários. Desde que você tenha conquistado a confiança do cliente, a ponto da relação profissional se tornar agradável e as informações fluírem de maneira natural.

 

Neste contato, depois de avaliar, por alto, o trabalho a ser executado, o profissional deve abordar objetivamente as pretensões orçamentárias do seu cliente pois, assim saberá os limites de suas intervenções. E por outro lado é preciso deixar claro o custo do trabalho – os honorários do projeto de design e de toda sua abrangência técnica, inclusive se será necessário o acompanhamento da obra e acertar valores, bem definidos, para estas visitas assim como sua assiduidade.

 

Não inicie nenhum tipo de trabalho antes de assinar um contrato de prestação de serviço.  É garantia para você e seu cliente, ambos terão certeza de bom relacionamento comercial.

 

Sendo este o interesse do leitor, o próximo post trata da “Competência e ética do profissional de Design de Interiores”, que aborda este e outros aspectos do profissional e o Cliente, disponível no link:

Competência e atribuições do Designer de Interiores

 

  • Share post

Arquiteta e professora de Desenho Arquitetônico na Faculdade Tecnológica INAP de Design de Interiores. Larga experiência no mercado de trabalho com diversos projetos arquitetônicos edificados em BH. Pratica a docência com prazer e dedicação e tem ampliado sua abrangência de conteúdos no EAD - Ensino a Distancia - nas disciplinas de Conforto ambiental, Núcleo de Projeto e outras.

2 comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *